MINHA FAMÍLIA

MINHA FAMÍLIA
Agradeço sua visita!
Neste espaço vou compartilhar com você um pouco do que tenho recebido de DEUS, que sempre nos dá muito mais do que merecemos.
Desde já agradeço a reflexão de seu comentário.

domingo, 27 de junho de 2010


AS MARCAS DA VIDA

"Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus." - Gálatas 6.17

A vida deixa marcas na gente, as quais, às vezes, geram cicatrizes que não se apagam; mas Deus pode apagá-las com a marca indelével do Seu amor revelado na cruz.

1. MARCAS DA VIDA

· Os senhores marcavam seus escravos;

· tempo marca com rugas e com a velhice;

· A discriminação marca as pessoas de cor diferente;

· A doença marca sua vítimas.

2. MARCAS DO PECADO

· Drogas; - Prostituição; - Álcool; - Adultério; - Roubo; - Traição.

3. COMO AS MARCAS PODEM SER TIRADAS?

As marcas da vida e do pecado podem ser tiradas ou transformadas em nome de Jesus. Ele levou as marcas do nosso pecado para que ficássemos limpos.

Algumas marcas geradas pela vida não podem ser tiradas, mas uma cicatriz feia pode se tornar bonita, através do Espírito.

· Um velho rabugento pode se tornar um sábio ancião;

· Um escravo encontra libertação no Senhor. Para Deus não existe acepção de pessoas, nem de cor, nem de “Status” social (Atos 10.34).

· Um doente pode fazer da sua cicatriz um motivo de testemunho.

· A prostituta pode se tornar virtuosa (Raabe- Js 6.25).

· Quem roubava pode se tornar generoso e solidário para como próximo (Zaqueu – Lc 19.1-10).

· Quem adulterou pode encontrar perdão e reaver sua autoridade (Davi – Sl 51).

· Quem traiu pode se reconciliar (Pedro – Jo 18.17,18,25-27).

CONCLUSÃO

Para tirar ou transformar as marcas precisamos nos dispor a:

· Mostrar a Ele as nossas marcas da vida;

· Mostrar arrependimento por nos deixar marcar pelo pecado;

· Crer no poder purificador de Jesus;

· Crer que o mundo pode marcar as pessoas, mas para Deus só existe a marca da salvação, quando se aceita Jesus.

A única forma de apagar as cicatrizes feitas pela vida e pelo pecado é se deixando marcar por Jesus.

Pr. Alberto Maciel Carneiro

UM VERSÍCULO PARA CADA VALOR

UM VERSÍCULO PARA CADA VALOR

1. AMOR

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que de seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3.16

2. HUMILDADE

“Nada façam por ambição egoísta ou vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmo.” Filipenses 2.3

3. PAZ

“Bem-aventurado aqueles que trabalham pela paz, pois serão chamados filhos de Deus.” Mateus 5.9

4. FELICIDADE

“Felizes as pessoas humildes, pois receberão o que Deus tem prometido.” Mateus 5.5

5. HONESTIDADE

“E a minha honestidade dará testemunho de mim no futuro, toda vez que você resolver verificar o meu salário.” Gênesis 30.33

6. RESPONSABILIDADE

“Certamente vocês ouviram falar da responsabilidade imposta a mim em favor de vocês pela graça de Deus.” Efésios 3.2

7. UNIÃO

“Um ao outro ajudou, e ao seu próximo disse: Sê forte.” Isaías 41.6

8. SIMPLICIDADE

“Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois delas é o reino dos céus.” Mateus 5.3

9. TOLERÂNCIA

“Bem-aventurado os misericordiosos, pois obterão misericórdia.”

Mateus 5.7

10. COOPERAÇÃO

“Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós... pela vossa cooperação a favor do evangelho desde o primeiro dia até agora.” Filipenses 1.3,5

11. LIBERDADE

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.” Gálatas 5.1

12. RESPEITO

“Naquele dia o Senhor exaltou Josué à vista de todo o Israel; e eles o respeitaram enquanto viveu, como tinham respeitado Moisés.” Josué 4.14

UNÇÃO DOBRADA DO ESPIRITO

UNÇÃO DOBRADA DO ESPíRITO


UNÇÃO DOBRADA DO ESPIRITO - I Reis 19.15-16 e II Reis 2.9,10

I – CADA CRENTE UM MINISTRO

  • O que é a Crente sendo um ministro?
  • É cada um de nos discipulando e sendo discipulado por alguém “Ide..., pois estou convosco”.
  • Discipulado é um “recrutamento” e não uma sugestão. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura, ensinando a guardar o que tenho dito”.
  • Jesus não tem mais nenhuma palavra para nós até as suas ordens serem executadas.
  • Jesus não disse: “Testemunhe!” - Mais sim: “Sedes testemunhas!”foi uma palavra criativa.
  • A unção do Espírito só vem com a obediência. A unção e o ministério andam de mãos dadas.

II – ELIAS TINHA UMA TAREFA

  • Três homens tinham de ser ungidos – Hazael, Jeú e Eliseu.
  • Elias só fez dois terços da ordem de Deus. Ele não ungiu Hazael e Jeú.
  • Quando o seu manto repousou sobre Eliseu, Eliseu recebeu uma “porção dupla” do espírito de Elias.
  • O mesmo Espírito que tinha ungido Elias ungiu também Eliseu para dar continuidade a missão.
  • Depois Eliseu um ungiu Hazael e Jeú.

III – PORÇÃO DOBRADA é UNÇÃO E HONRA

  • Eliseu Pediu: “Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim” (II Reis 2.9b).
  • A comissão de Elias, com o poder de Elias, transmitido a Eliseu.
  • Uma transferência dupla ocorreu do profeta que estava partindo para o profeta que ia ficar.
  • Eliseu recebeu o revestimento de Elias, mas essa unção era para cumprir a tarefa de Elias.
  • Não foi um pedido para fazer duas vezes mais do que Elias tivera ou fizera, mas uma solicitação para que fosse o herdeiro reconhecido de Elias no ministério profético.
  • Elias fez transferência de vida para Elizeu!
  • Elias ministrou Unção e honra a Elizeu!
  • Elizeu honrou e ministrou a unção de transferência.

IV – A UNÇÃO E A HONRA

  • A unção do Espírito Santo e a honra é a Porção dobrada do Espírito sobre nós.
  • Isso é um princípio Divino.
  • Devemos honrar a unção que está sobre os nossos lideres.
  • Muitos Crentes querem a unção mas não querem honrar.
  • Primeira unção – Testemunho de vida no Espírito Santo.
  • Segunda Unção – Unção de honrar no serviço para no Reino de Deus.
  • A Primeira – implica em vida.
  • A Segunda – implica em serviço.
  • Deus tem chamado homens que queiram a porção dobrada do Espírito.
  • Elias disse: Dura coisa me pede.
  • É porque essa obra é transferível somente pra aqueles que querem recebê-la como de Deus.
  • Receber unção de seu líder é receber o poder de Deus.
  • Honrar seu líder é receber dupla unção sobre sua vida.

PR. ALBERTO MACIEL CARNEIRO

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O CAMINHO A JESUS PASSA PELA CRUZ


O CAMINHO A JESUS PASSA PELA CRUZ

Mateus 16.24 - "Então, disse Jesus a seus discípulos: se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me."

INTRODUÇÃO

Se você fosse morrer hoje á noite, o que poderia dizer à Deus pra convencê-lo a te deixar entrar no céu? O apóstolo Paulo sempre deixou claro que até mesmo as pessoas que se pensam religiosas não tem garantia de vida eterna se não tiverem um relacionamento de confiança com Cristo Jesus.

A confiança nesta vida e na vida eterna é fruto da morte e ressurreição de Jesus, aceita declarada e defendida como forma de vida, como princípio fundamental da fé, como elemento condutor da religiosidade e da espiritualidade.

1. NEGUE-SE A SI MESM0

A vida cristã tem inicio com esse ato:

· Negar-se a si mesmo significa renunciar, repudiar à própria bondade, cessar de confiar em quaisquer de nossas obras para recomendar-nos a Deus. Isto quer dizer uma aceitação irrestrita do veredicto divino de que todos os nossos melhores feitos são como “trapos de imundícia” (Is. 64.6)

· Negar a si mesmo significa renunciar de todo a própria sabedoria. Quando o Espírito Santo aplica o evangelho com poder em uma alma, Ele o faz para destruir fortaleza, anulando sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e leva cativo todo pensamento a obediência a Cristo (1 Co 10.4,5).

· Negar-se a si mesmo significa renunciar as próprias forças. Isto quer dizer não ter qualquer confiança na carne ou em si mesmo diante de Deus. Toda a nossa força para Deus é nada se não for movido pela presença de Cristo. “Sem mim nada podeis fazer” disse Jesus (João 15.5).

· Negar-se a si mesmo significa renunciar de todo a própria vontade. Normalmente a linguagem daqueles que não querem compromisso com Deus é uma repetição do que diziam os fariseus do tempo de Jesus: “Não queremos que este reine sobre nós” (Lc 19.14).

· Negar-se a si mesmo significa renunciar as próprias concupiscências ou desejos carnais. Thomas Manton disse: “O ego de um homem é um pacote de ídolos”, e esses ídolos têm de ser repudiados. A respeito dos descrentes a Bíblia afirma que: “todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus (2 Tm 3.2).

2. TOME A SUA (PRÓPRIA) CRUZ

A Cruz de Jesus foi e continua sendo única. Refiro-me não a cruz como objeto de fé ou amuleto da sorte, mas como uma experiência da alma.

As virtudes experimentais da cruz de cristo são apenas quando somos conformados de modo prático “com Ele na sua morte”.

Não nos enganemos nesse ponto Jesus disse: “qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo” (Lc 14.27).

Por isso o verdadeiro cristão é primeiramente alguém que tomou sobre si o jugo de Cristo. Tomar a cruz significa que:

· É somente quando aplicamos a cruz e regulamos o nosso comportamento pelos princípios dela, que a cruz se torna eficaz sobre o poder do pecado que habita em nós.

· Precisamos reconhecer que ela é a insígnia, a evidência do discipulado cristão. É a cruz de Cristo e não o credo dEle que faz a distinção entre um verdadeiro seguidor de Jesus e nos religiosos mundanos.

· A cruz significa uma vida de sujeição voluntária a Deus. A atitude de Jesus, a sua morte foi um sacrifício espontâneo, uma oferta de si mesmo a Deus.

· Como instrumento de mediação, a cruz de Cristo permanece única (nunca mais haverá igual)

3. SIGA A JESUS

A graça não somente é a fonte de perdão, mas também a força que rompe o poder do domínio do pecado, mas nem todos a querem pra si. Segue-me segundo Jesus, é um desfio que surge como resultado do negar-se a si mesmo e tomar a sua cruz.

· O céu tem muitas almas que a igreja ainda não tem: pessoas que hão de ouvir essas palavras de Jesus, negarão a si mesmos, tomarão sua cruz e o seguirão.

· A igreja tem muitas almas que o céu não tem: que são aquelas pessoas que um dia (disseram que negavam a si mesmas, mostraram disposição em seguir á Jesus, mas por algum outro interesse, desistiram no meio do caminho e o abandonaram, resolvendo não mais segui-lo preferindo ficar sintonizados “no pecado e morte”, longe dos irmãos, longe da igreja e enfim, longe de Deus, para sua própria perdição, a exemplo de Judas e tantos outros personagens que a Bíblia descreve que agiram assim.

CONCLUSÃO

· Negar-se a si mesmo não significa negar coisas materiais, mas sim se entregar inteiramente a Cristo e compartilhar de sua humilhação e morte.

· Tomar a cruz não significa carregar fardos ou ter problemas.

· Tomar a cruz significa identificar-se com Cristo em sua rejeição, vergonha, sofrimento e morte.

PR. ALBERTO MACIEL CARNEIRO

segunda-feira, 17 de maio de 2010

ANIVERSÁRIO DE UMA MULHER DE EXCELÊNCIA


Existem mulheres de excelência?
Para um homem pensar um pouco mais!
A Palavra de Deus diz:
"Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!" (provérbios 31:29)
A mulher de provébios 31 disntingui-se das outras mulheres também virtuosas, pela sua postura de excelência.
O que diria um homem que tem ao seu lado, não uma simples mulher mas uma mulher de excelência.
- Simples mãe? Não! Mãe de excelência!
- Simples esposa? Não! Esposa de excelência!
Aliás "excelência" é sua maior virtude!
Por isso é uma mulher virtuosa!
Um dia surgiu em meu coração como uma planta viçosa e florida, nascida no meio de um pantanal, no meio da lama ou no seco e árido deserto de minha vida.
Hoje exibe sua retumbante e exuberante beleza como a mais virtuosa da mulheres!
Vânia, você é a essência de minha vida!
Você é incomparável!
Te Amo!
Te Amo!
Te Amo!
Feliz Aniversário! Neste dia 18 de Maio de 2010
De seu Esposo que te ama muito!
Alberto Maciel Carneiro

quarta-feira, 5 de maio de 2010

CELEBRANDO A REDENÇÃO


A CELEBRANDO A REDENÇÃO

As imagens de Cristo no Brasil se resumem a retratá-lo como o bebê inofensivo na manjedoura, numa espécie de mágico ou guru ou na figura impotente sangrando na cruz.

A partir destas caricaturas, explica-se o abismo impressionante entre o que se afirma sobre o cristianismo e a ética dos que se chamam cristãos. Na epístola aos Filipenses temos o grande apóstolo dos gentios apelando apaixonadamente por unidade (Fp 2.2), humildade (2.3) e dedicação entre os crentes (2.3-4). Para que os cristãos vivam nesta nova vida, ele coloca diante deles o drama da redenção, numa das mais magníficas passagens da Bíblia.

PENSANDO UM POUCO MAIS NESTE TEXTO DE FILIPENSES 2.5-11:

v. 5:

· “Tende”: Tanto um apelo como uma exortação a se imitar a Cristo, por ser esta a regra da vida cristã.

· “Em vós”: o apóstolo tem em mente a comunidade cristã.

· “Mesmo sentimento”: “Em seu ser interior continuem a pôr sua mente nisto, que também (está) em Cristo Jesus” ou “isto esteja constantemente posto em sua mente e em seu interior, aquilo que também está em Cristo Jesus”: a unidade, a humildade e a solicitude (cf Fp 2.1-4).

· “Em Cristo Jesus”: Significa o drama da salvação, em que os crentes foram “inseridos” em sua conversão e batismo, quando os eventos salvadores da história de Cristo adquiriram significado pessoal, e os crentes passaram do domínio da velha natureza para a “nova vida” inaugurada pela vitória de Cristo sobre os poderes das trevas.

v. 6:

· “Existindo”: tem o sentido de permanente, isto é, Cristo Jesus existia e existe eternamente na forma de Deus.

· “Forma” se refere aquilo que é anterior, essencial e permanente na natureza de uma pessoa ou coisa,

· “sendo igual a Deus”; enquanto “reconhecido” aponta para seu aspecto externo, acidental ou aparente.

v. 6-7:

· Ele não considerou sua existência numa forma igual a Deus “numa forma de igualdade”, como um privilégio ao qual apegar-se ou a usurpar; mas “a si mesmo se esvaziou”, “deu-se a si mesmo”: Se uma pessoa recusa apegar-se a uma coisa, quer dizer que se despoja dela, ou “se esvazia” dela. Ao esvaziar-se ou despojar-se, Cristo se esvazia ou se despoja de algo.

· “Assumindo a forma de servo”: está incluído aqui o assumir a aparência e maneiras de um ser humano, se humilhando e sendo obediente até a morte, e morte de cruz. Ele se fez “servo”. Cristo identificou-se com a humanidade não-redimida, escravizada às forças malignas, porque ele nasceu à semelhança dos homens, trilhando o caminho da obediência no sofrimento. “Eis aqui uma grande notícia! De fato, é uma espantosa notícia! Ele, o soberano Dono de todas as coisas, se torna Servo de todos. E ainda mais: ele continua o Dono”.

· “Tornando-se em semelhança de homens”: assumiu a natureza humana em fraqueza. No fim, é usado em antítese direta com: aquilo que ele poderia ter usurpado, ele entregou, e aceitou justamente o oposto, uma vida de total dependência de Seu Deus, como um filho obediente.

v. 8:

· As marcas da vida terrena de Cristo: “Se humilhou”, “se fez obediente”, “até a morte”, “morte de cruz”: dolorosa, ultrajante e maldita (Is 53.12).

· Ele se entregou ao limite máximo da submissão, a um tipo de morte reservado para aqueles que não têm direitos na sociedade: “da luz de Deus para a escuridão da morte”. Todo o seu caminho é um caminho em direção a sua morte, morte de cruz.

v. 9:

· Enquanto nos versículos 6-8 a ênfase está naquilo que Cristo fez, agora acentua-se aquilo que Deus fez para ele e por ele. “Sobremaneira”: “Deus o exaltou ao máximo”: o mesmo que se humilhou foi exaltado, mas com uma diferença: ele foi “superexaltado”, enaltecido de uma forma “transcendentemente gloriosa” ou “à mais elevada excelsitude”.

· Estão implícitas aqui a ressurreição, a ascensão e a coroação – temos aqui uma reascensão à glória.

v. 10:

· A consumação de sua glória quando, no dia de sua vinda, todo joelho se dobrará diante dele e toda língua proclamará seu senhorio universal.

· “Deu o nome”: graciosa e gratuitamente lhe deu não um nome, mas o nome que está acima de todo a criação.

· “Ao nome de Jesus”: o nome completo ainda é omitido, aguardando o clímax.

· “Se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra”: Em seu regresso em glória, Jesus será adorado por todos – os anjos e os seres humanos redimidos farão isso com intensa alegria; os condenados farão isso com profunda tristeza e remorso, sem ocasião para arrependimento. Mas tão intensa será sua glória que todos, no céu, na terra e debaixo da terra, se sentirão impelidos a render-lhe adoração.

v. 11:

· O clímax: “E toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor”. Toda a criação proclamará publicamente o soberano senhorio de Jesus, o ponto mais alto do drama da salvação.

· O humilde “servo” Jesus foi coroado com glória e honra, e como o grande Vencedor continua celebrando seu triunfo e governa ativamente todas as coisas no interesse de seu povo.

· Esta é a mais antiga confissão de fé da igreja: Jesus Cristo é o verdadeiro e único Senhor. “Pela virtude do poder e majestade de Jesus Cristo, e pelo reconhecimento de que ele é o Senhor, toda língua o proclamará”.

· Cristo rege a criação “para glória de Deus Pai”, que é sempre o alvo, o propósito final de todas as coisas. Por meio da proclamação universal do senhorio de Jesus, a glória de Deus o Pai, que o ressuscitou e o exaltou soberanamente, e lhe deu o mais excelente nome, naturalmente será intensificada.


PENSAMENTO CENTRAL QUE VEMOS NOS TEXTO

· Todo o evangelho é resumido neste “cântico de salvação” que descreve o “caminho de Cristo”.

· O Filho, que é Deus em plena igualdade com o Pai na glória da Trindade, assumiu a humilhação da condição humana, exposto à miséria, pobreza e tentação.

· Permaneceu obediente e sem pecado, algo que ninguém mais conseguiu. E por isto foi morto na cruz por amor a pecadores.

· Mas, por sua morte foi exaltado sobre toda a criação, como o soberano Senhor de todo o universo – para a glória de Deus o Pai.