MINHA FAMÍLIA

MINHA FAMÍLIA
Agradeço sua visita!
Neste espaço vou compartilhar com você um pouco do que tenho recebido de DEUS, que sempre nos dá muito mais do que merecemos.
Desde já agradeço a reflexão de seu comentário.

terça-feira, 23 de março de 2010

SÉRIE DE SERMÕES 'A ORAÇÃO DO PAI NOSSO p8


SÉRIE: ORAÇÃO DO PAI NOSSO – PARTE 8
Texto base: MATEUS 6.9-13
Texto áureo:
“...pois teu é o reino, o poder e a gloria para sempre” (RA)

INTRODUÇÃO:
Estamos na ultima ministração da oração do Pai nosso onde o foco é o Reino, o poder e a glória.
Vimos:
• Um Deus que chamamos de Pai, onde revela seu amor paternal;
• Um Deus que é nosso, ou seja, que eu não posso adorar ele sozinho;
• Um Deus que mudou de endereço, e não está mas lá, mas está aqui, agora e em nós;
• Um Deus que é Santo e o santificamos em nossas vidas com atitudes de filho, servo, adorador e multiplicadores;
• Um Deus que nos deu a salvação de graça e estabeleceu seu reino na terra para trabalharmos e fazermos justiça a essa salvação;
• Um Deus que governa soberanamente, que controla tudo e todos, sendo assim o fator principal da minha fé é eu respeitar sua vontade;
• Um Deus que nos deu o pão de cada dia, hoje! Esse pão é o próprio Senhor Jesus o qual devemos servi-lo ao próximo, pois mais bem aventurado é dar do que receber;
• Um Deus que nos perdoou na cruz do calvário e que hoje aprendido isso perdôo meu próximo e com autoridade posso reivindicar o perdão de Deus;
• Um Deus que nos ajudar a não cair em tentação, mediante a nossa vontade de resistir à tentação, ou seja, eu venço a tentação e o dia mal mediante ao esforço e vontade de manter-me fiel a ele.
Portanto tudo isso que aprendemos na oração do Pai nosso e a essência de um viver prático. Devemos estar inserido nesse contexto. Quando entendemos, reconhecermos e nos submetermos a esse princípio de autoridade que é:
• O REINO;
• O PODER;
• A GLÓRIA.
Vejamos então porque devemos estar inserido neste contexto:

1. O REINO

Falar do Reino de Deus é falar sobre o infalível propósito redentor de Deus para sua criação e da vocação apostólica que a Igreja tem com respeito a este propósito na história.

A Missão da Igreja só pode ser entendida à luz do Reino de Deus, à luz do propósito revelado em Jesus. Diante dessa afirmação iremos refletir algumas perspectivas sobre as implicações do Reino entre nós.

O Reino é o poder dinâmico do Deus-Trino, que se torna visível pela manifestação do Espírito Santo por meio de sinais restauradores que evidenciam Jesus como o Messias prometido: Pois o Reino de Deus não consiste de palavra, mas de poder (1 Co 4.20).
O Reino está entre nós! Jesus Cristo indica a presença do Reino de Deus na história, pois:

1. Ele veio e trabalhou no poder do Espírito Santo.
• Jesus voltou para a Galiléia no poder do Espírito, e por toda aquela região se espalhou a sua fama. (Lc 4.14).
• Eis o meu servo, a quem escolhi, o meu amado, em quem tenho prazer. Porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará justiça às nações (Mt12.18).
2. Ele ensinava os princípios do seu Reino com autoridade.
• Todos ficavam maravilhados com o seu ensino, por que lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei. (Mc. 1.22).
• Jesus respondeu: “O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. (Jo 7.16).
3. Sua encarnação, crucificação e ressurreição estabeleceram a implantação vitoriosa do Reino.
• Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. (Lc 2.10,11).
• Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós. (Rm 8.34).

2. O PODER

A igreja é o poder vivo de Deus em nós. Vejamos as manifestações do poder de Deus em nossa vida.
• Poder libertador: Jo 8.32-36;
• Poder perdoador: Mt 9.6;
• Poder Salvador: Jo 4.42;
• Poder transformador: At 9.1-6;
• Poder para batalhar: Ef 6.10,11;
• Poder para Operar milagres: Mc 3.14,15; Mt 9.8;
• Poder para pregar: Mc 3.14,15;
• Poder para testemunhar: At 18.5;
• Poder para vencer: Hb 11.33.

Os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça (At 4.33).
Este poder derivava da presença de Cristo ressuscitado, do senhorio do Filho de Deus e do uso do nome do Senhor Jesus.

3. A GLÓRIA

A glória de Deus poder ser vistas em diferentes aspectos:
• A glória do Senhor faz-nos submissos à sua vontade: Ez 3.23-27;
• A glória do Senhor leva-nos à sua adoração, ao louvor e à submissão: 2 Cr 7.3
• A glória do Senhor santifica: Êx 29.43.
• A glória do Senhor é a sua presença e a certeza de vitória.

CONCLUÍMOS

Reconhecemos que do Senhor é o reino, o poder e a glória e estado nós dentro deste projeto de Deus por meio de Jesus Cristo, somos mais do que vencedores.
Em sua procura pelo homem, Deus não se calou, mas apareceu, enviou anjos, levantou profetas, e por último, nos falou através do seu Filho, Jesus (Hb 1.1,2).
E agora Deus quer usar você para ser a glória visível na proclamação do evangelho.
A igreja é a voz profética entre os povos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário